China lança a maior rede 5G do mundo

As três operadoras de redes sem fio estatais da China, China Unicom, China Mobile e China Telecom, estrearam serviços de telefonia móvel 5G neste mês. Este se tornou um marco na tentativa do país de se tornar uma potência tecnológica, mesmo diante da guerra comercial com os EUA.

A China Mobile, maior operadora do país, lançou sua rede em 50 cidades, que incluem Pequim, Xangai e Shenzhen, com pacotes a preços baixos equivalentes a 128 yuans (US$ 18) por mês. Já as rivais, China Telecom e China Unicom Hong Kong também introduziram serviços com preços equivalentes.

As operadoras planejavam estrear as redes no próximo ano, mas aceleraram o lançamento diante do boicote dos EUA à fornecedora de equipamentos 5G, e gigante de tecnologia chinesa, Huawei Technologies.

Algumas operadoras nos EUA introduziram o 5G em partes de algumas cidades, sem usar equipamentos da Huawei, e a Coreia do Sul estreou sua versão em abril.

Embora alguns outros países tenham lançado serviços 5G no início deste ano, a China terá a maior rede operacional comercial 5G do mundo em virtude de sua enorme população e investimento das empresas.

Mais de 10 milhões de pessoas já se registraram para o 5G e terão acesso a vídeos e jogos mais rápidos, mais aplicativos de realidade virtual e melhor desempenho para videoconferência móvel.

Os pacotes 5G da China Mobile para usuários com maior demanda por dados têm preços semelhantes aos planos 4G, que custam a 588 yuans por mês. As maiores cidades, como Pequim, Xangai e Shenzhen, terão cobertura total primeiro. As três operadoras projetaram investimento de 302 bilhões de yuans este ano.

A escala da implantação da infraestrutura 5G na China é especialmente importante para a Huawei. O domínio no maior mercado do mundo pode atenuar os efeitos de uma campanha nos EUA contra outros países que instalam equipamentos da Huawei, acusada de representar uma ameaça à segurança.

Apesar da pressão dos EUA, a Huawei disse em julho que assinou mais de 60 contratos comerciais para fornecer redes 5G em todo o mundo, incluindo pelo menos 28 na Europa.

Presente em 50 cidades chinesas, o 5G também deve impulsionar o segmento cinematográfico do país, que inclusive carrega uma longa tradição em diferentes gêneros. Isso deve ser ainda significativo quanto à inclusão de novos equipamentos de produção e consumo de conteúdo.

 

Fonte: Exame