Realidade virtual mais próxima do Matrix

Parece difícil de imaginar que um simples dispositivo feito de papelão seja a porta de entrada para avançadas tecnologias de realidade virtual. Porém, é exatamente essa a mentalidade da Google com os investimentos no projeto Cardboard.

Lançado no ano passado, o Google Cardboard ganhou dezenas de imitações, mas fez com que um novo ecossistema de apps fosse criado. Agora, a nova versão do Cardboard suporta aparelhos com telas de até 6 polegadas e também é compatível com iPhones.

Todos os visitantes da Google I/O 2015 receberam um de presente da Google e, com ele em mãos, tivemos a oportunidade de fazer os primeiros testes de compatibilidade com o iOS. Além do suporte ao app, a versão para iPhone ganhou ainda novas animações.

Simplicidade acima de tudo

O Google Cardboard praticamente não teve mudanças significativas em sua estrutura. Feito de papelão, ele é compatível agora com celulares cuja tela seja de até seis polegadas – o que já não era sem tempo, uma vez que o próprio Nexus ˆ, da Google, não cabia no Carboard anterior.

A maior novidade desta versão é a compatibilidade com o iOS. Você pode baixar gratuitamente o app Google Cardboard na App Store por meio deste link. Depois de fazer o download do app, basta sincronizar o Cardboard com o aparelho. Para isso, abra o app e leia o QR Code impresso no verso do óculos. Imediatamente o aplicativo é reconhecido e basta posicionar o smartphone para começar a se divertir.

Novos modos de demonstração

Juntamente com o novo Cardboard, a Google está oferecendo um SDK para que os desenvolvedores criem novos apps para o dispositivo. As possibilidade apresentadas neste primeiro momento são significativas. Um dos destaques é a animação chamada “kaleidoscope”, que deixa o usuário imerso em um mundo de partículas coloridas.

As melhores novidades, provavelmente, ainda estão por vir, mas os usos de software em relação a primeira versão – que pode ser conferida no Android – são notáveis. Há melhorias sutis nos movimentos e as animações de mostram mais refinadas. Em outras palavras, é como se o lançamento dessa nova versão fosse um reforço a um convite para que a tecnologia possa ser melhorada.

Gostei, como posso ter um?

Você mesmo pode montar o seu Cardboard. O site oficial do projeto mostra o passo a passo para que você crie o seu próprio modelo. Entretanto, é possível comprar algumas versões em sites internacionais e até mesmo no Mercado Livre. Há modelos a partir de US$ 1 e que funcionam tão bem quanto o original. Tudo que você precisa fazer é checar se o seu smartphone cabe nele.

 

Ou se você tiver um “Q” de cientista, pode arriscar criar o seu, confira:

Fontes: Tecmundo e Manual do mundo