Microsoft adquire LinkedIn e volta à competição do mercado

A Microsoft estava fora do jogo das grandes empresas de internet, que hoje são lugares ocupados pela Google, Apple e Facebook. Embora dona do mais usado sistema operacional, o Windows, a Microsoft não dominava a internet. O Google tem esse controle através do Android, sistema operacional de smartphone e também pelo seu portal de busca; a Apple é dona do celular mais cobiçado, o Iphone; e o Facebook controla as mensagens em sua página e no aplicativo WhatsApp.

A Microsoft já havia tentado outras aquisições, como o Skype, a Nokia e a aQuantive, em uma tentativa frustrada de competir com o Google, o que ocasionou um grande prejuízo para a empresa. Com a aquisição da LinkedIn, rede social para contatos profissionais, a Microsoft investiu cerca de US$ 26,2 bilhões no dia 13 de junho de 2016 e pretende restaurar boa parte do consumo na web através do crescimento das assinaturas individuais e empresariais, assim como com o aumento de publicidade.

Mas o que isso significa para o usuário final? São esperadas novas funções e integração com os serviços da fabricante do Windows 10 e do Microsoft Office. Pelo menos é o que mostra uma suposta apresentação da empresa sobre o assunto, que foi enviada à SEC (Securities and Exchange Commission), nos Estados Unidos, que regula as aquisições comerciais no país. De acordo com os slides, podemos esperar recursos bem interessantes em um futuro próximo.

O CEO da Microsoft, Sadya Nadella, em um e-mail enviado aos funcionários, já havia destacado que a integração permitirá que serviços das empresas sejam complementares. Uma das principais novidades promete ser um Feed de Notícias diferenciado e customizado para cada usuário. Este conceito aparece com destaque na apresentação, junto com algumas outras possíveis novidades. Confira abaixo:

Feed inteligente
“No futuro, o newsfeed do LinkedIn vai ser o local para ir quando cada profissional quiser ficar conectado ao que está acontecendo em sua rede, na indústria e na profissão. Além disso tudo, o recurso será constantemente atualizado e customizado com seus afazeres, como reuniões e projetos que estão por vir [agenda]”. A Microsoft, portanto, pretende mudar totalmente a experiência social do LinkedIn incluindo ferramentas do pacote Office de organização pessoal e profissional.

Perfil integrado
“No futuro, o perfil de um profissional será unificado, e os dados certos vão aparecer no tempo certo no aplicativo, seja Outlook, Skype, Office ou algum outro”. Segundo a Microsoft, portanto, o perfil do LinkedIn do usuário poderá ser acessado/atualizado facilmente a partir de seus outros serviços da empresa. Ainda não há informações de como isso será feito, no entanto. Uma hipótese é poder incluir, direto do Microsoft PowerPoint ou Microsoft Excel novos slides e arquivos.

Cortana
Uma das assistentes virtuais comandadas por voz mais elogiadas, a Cortana já sabe tudo da vida do usuário atualmente. E, com a integração ao LinkedIn, poderá saber também da sua carreira. “Ela [a Cortana] vai ter acesso a toda a sua rede profissional e poderá conectar os pontos para você estar sempre um passo à frente”, diz a Microsoft. Sendo assim, mais uma vez, recursos como agenda e compromissos podem ser integrados à rede social – no caso, com ajuda da assistente do Windows 10.
Fonte(s): TechTudo, Blasting News